Comunicação Alienígena | Cientistas podem ter encontrado uma rede de sinais alienígenas

Cientistas encontram sinal alienígena em 234 estrelas
Cientistas encontram sinal alienígena em 234 estrelas

Dois Astrônomos no Canadá afirmam terem encontrado um sinal de comunicação entre 234 estrelas. A notícia a princípio parece um absurdo. Pois até agora a humanidade vem tentando um único sinal alienígena, e logo de cara esta dupla consegue 234. É muito estranho! Eles mesmos acreditam que possa haver uma explicação científica. Mas o caso é que se não for um erro do equipamento, é possível pelo menos algo novo foi encontrado.

Mas vamos entender como eles fizeram isso, e as chances de ser algo real. Vamos começar pelo início.

A HISTÓRIA

Tudo começou no ano de 2012, quando o astrônomo italiano Ermanno Borra, da Universidade Laval, em Quebéc, no Canadá. Teve uma idéia muito interessante:

Nós humanos, estudamos as estrelas, correto?

Como o estudo é feito? Na maioria dos casos é estudado a luz que as estrelas emitem. Apenas pela assinatura da luz é possível conseguir bastante informações sobre as estrelas. Sendo assim nossos astrônomos apontam seus telescópios e fazem as medições.

O que Ermando Borra pensou foi o seguinte: Se nós humanos estudamos as estrelas assim, é possível que outras civilizações estudem da mesma forma. E a qualquer momento uma civilização pode estar apontando o telescópio para o nosso Sol, para fazer as medições.

Então, olha que interessante: Ermano, pensou em uma possibilidade de enviarmos então, um sinal para outra civilização no momento em olhassem para o nosso Sol.

Como?

Através de um sinal de laser!

Comunicação Alienígiena, envio de sinal
Comunicação Alienígiena, envio de sinal

Funcionaria assim: Seriam emitidos dois pulsos de laser de forma alternada. Com uma diferença de apenas 0,1 nanossegundo entre um laser e outro. Assim quando uma civilização analisa-se o nosso Sol, perceberia que junto a luz do Sol, haveria um sinal ótico de luz artificial.

A idéia de Ermano é boa, e segundo ele é possível fazer com a tecnologia atual. Porém só tem um problema, o raio laser tem que está apontado diretamente para a civilização que estiver nos observando. E aí, vem a grande questão? Para onde apontar o Laser? Neste caso não tem jeito mesmo, aponte alguns dias para uma direção, depois outros dias aponte para outra e torça para que um dia alguém veja.

A OUTRA IDÉIA

Mas não ficou por aí. Sabe aquela história de quando você aprende algo novo, vê novas possibilidades que não havia pensado antes? Pois bem, depois de elaborar esta idéia Emarnno Borra teve uma outra idéia! Na verdade a mesma idéia, só que de forma contrária.

Ou seja, como ele pensou em fazer um sinal óptico para outra civilização, será que algúem em algum lugar do universo não pensou na mesma coisa?

Em outras palavras, será que neste exato momento não existe uma outra civilização enviando sinais de luz pelo universo? E mais! Exatamente da forma que o astrônomo propoz, com dois raios de luz alternados por um espaço de tempo de 0,1 nanossegundo!

O fato é o Ermanno seguiu em frente com essa idéia. E se juntou com o também astrônomo Eric Trottier.

O projeto foi ambicioso! Eles usaram os dados captados pelo Telescópio SDSS Localizado no novo México.

SDSS - Novo México
SDSS – Novo México

Foram Analisadas 2.500.000 estrelas. O Objetivo era o seguinte: Encontrar uma estrela que estivesse emitindo o tal sinal.

E para a grande surpresa dos astrônomos, eles não encontraram uma só, eles encontraram 234 estrelas emitindo o sinal exatamente como proposto por Ermanno.

Se você está achando incrível esta história, ainda tem mais!

Existem vários tipos de Estrelas no universo. Existem estrelas anãs muito pequenas, estrelas medianas e existem estrelas gigantescas. Acredita-se que seja tecnicamente impossível que estrelas muito pequenas ou gigantescas demais possam ter vida em seus sistemas solares. É muito mais provável que caso exista vida por aí, seja em sistemas solares de estrelas pelo menos parecidas com o nosso Sol. E é aí que o estudo fica mais intrigante! As estrelas que emitiram o sinal de luz são exatamente aquelas que se supõe que possa abrigar vida!

Para entender melhor, as estrelas são classificadas por letras de acordo a sua temperatura de cor e conseqüentemente o tamanho.

CC BY-SA 3.0, https://commons.wikimedia.org/w/index.php?curid=1141520
CC BY-SA 3.0, https://commons.wikimedia.org/w/index.php?curid=1141520

A escala é a seguinte: M, K, G, F, A, B e O

As estrelas M, são anãs vermelhas, pode ser até que possuam vida, mas a sua zona habitável é muito próxima da estrela.

As estrelas B e O são gigantescas, e além de extremamente agressivas, tem um tempo de atividade muito curto. Então é muito improvável de ter vida. Sobram então as estrelas K, G, F e A, são as medianas, que além de não serem nem tão fracas nem tão agressivas, tem um tempo de atividade suficiente para que surja a vida.

A nível de comparação o Nosso Sol é uma estrela de categoria “G”.

Das 234 estrelas que estão emitindo o sinal. Praticamente todas são dos tipos K, G e F. Houve apenas uma estrela do tipo A, com o mesmo fenômeno.

Segundo os astrônomos, se fosse um erro de calibragem no equipamento. O sinal poderia ter sido notado de forma mais distribuída entre todos os tipos de estrelas. É de se analisar o fato, de apenas os tipos de estrelas que acredita-se que possam abrigar vida terem apresentado o sinal.

Mas o que pode ser o sinal?

Existem três alternativas:

  1. Pode ser uma falha na calibragem dos instrumentos.
  2. Pode ser um erro na compilação dos dados.
  3. Pode ser algo novo que ainda não foi notado. Por exemplo uma combinação química da estrela que acaba provocando o espectro de luz.
  4. E se todas essas alternativas não explicarem o sinal. Daí sim poderemos começar a cogitar a possibilidade de ser algo artificial.

E o que acontece agora?

Se comprovado, a descoberta deste sinal poderá ser considerada a descoberta mais espetacular de todos os tempos. O que é necessário agora é que pelo menos outros pesquisadores comprovem a existência do sinal, somente depois que o sinal for comprovado, será possível o início de algum estudo para tentar descobrir uma explicação natural para o fenômeno.

SETI
SETI

E é justamente isso que vai acontecer. Uma vez que as 234 estrelas foram mapeadas. O SETI (Busca por Inteligência Alienígena), irá agora dedicar horas de análises nessas estrelas. O SETI é especialista em busca realizada através de radiotelescópios que tentam captar sinais de rádio. Porém o projeto conta com um telescópio capaz de captar sinais ópticos, exatamente como os pesquisados por Ermano e Eric.

Agora o que podemos fazer é apenas aguardar. O Estudo ainda deve legar alguns anos.

A maior probabilidade é que seja mesmo algo natural que os cientísticas ainda não conseguem explicar. Cabe agora os pesquisadores encontrarem um meio de entendê-lo e explica-lo.

Mas quem sabe?! Vamos ficar na torcida, quem sabe é mesmo um sinal de vida alienígena!

Rede de Comunicação Alienígena
Rede de Comunicação Alienígena